Todas as publicações

Categoria Pai de Publicações

Apresentação do Coordenador do Novo Movimento pelo Interior (N-Mpi)

Divulga-se, com o devido acordo do Autor, Eng. Alberto Aroso, os documentos de apoio à sua intervenção subordinada ao tema “A importância do tempo de viagem na coesão socioeconómica e territorial dos territórios do interior“: – Intervenção escrita;– Diapositivos da apresentação. Esta intervenção ocorreu no dia 24 de maio de 2024 no âmbito das XVIII […]

Apresentação do Coordenador do Novo Movimento pelo Interior (N-Mpi) Read More »

“O investimento no novo aeroporto de Lisboa”, uma reflexão de Miguel Cadilhe

No passado dia 2 de maio, divulgou-se um estudo do Dr. Miguel Cadilhe intitulado “O investimento no novo aeroporto de Lisboa“. Hoje, dia 23 de maio, divulga-se um estudo complementar que representa um prolongamento natural do texto originalmente distribuído. Este estudo contém uma compilação de apreciações de cinco outros associados, bem como informação adicional prestada

“O investimento no novo aeroporto de Lisboa”, uma reflexão de Miguel Cadilhe Read More »

“Avaliar o grau de reformismo do Estado?”, um estudo de Miguel Cadilhe

O Dr. Miguel Cadilhe, Associado e Presidente da Mesa de Assembleia da ACEC, publicou, recentemente, um estudo para a ACEC intitulado “Avaliar o grau de reformismo do Estado?“. “Procuro retomar uma ideia simples em matéria difícil. Por vezes, o simples não é o melhor, mas esta ideia já resistiu a tempos de pensamento, também tempos

“Avaliar o grau de reformismo do Estado?”, um estudo de Miguel Cadilhe Read More »

Conferência “REGIÕES E PODER LOCAL” decorrerá a 20 de outubro em Cabeceiras de Basto

Convida-se os Associados a participar na Conferência Regiões e Poder Local, uma iniciativa conjunta da ACEC e da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto. Esta decorrerá no próximo dia 20 de outubro, na Casa do Tempo (em Cabeceiras de Basto), e conta com a parceria das restantes Câmaras Municipais da Região de Basto: Celorico de

Conferência “REGIÕES E PODER LOCAL” decorrerá a 20 de outubro em Cabeceiras de Basto Read More »

Balbina Mendes apresenta novo livro de pintura “A Segunda Pele”, dia 22 de julho, no Porto

Balbina Mendes, Associada da ACEC, apresenta novo livro de pintura “A Segunda Pele”, dia 22 de julho (sábado), no Porto. O lançamento decorrerá pelas 16h00 na Biblioteca Almeida Garrett (Porto). O livro reúne as pinturas mais significativas de quase uma década de produção artística, onde em 260 páginas se reflete o fascínio da artista pela

Balbina Mendes apresenta novo livro de pintura “A Segunda Pele”, dia 22 de julho, no Porto Read More »

Balbina Mendes apresenta novo livro de pintura “A Segunda Pele”, dia 15 de junho, em Lisboa

Balbina Mendes, Associada da ACEC, apresenta novo livro de pintura “A Segunda Pele”, dia 15 de junho (quinta-feira), em Lisboa. O lançamento decorrerá pelas 18h30 na Sociedade de Geografia (Lisboa). O livro reúne as pinturas mais significativas de quase uma década de produção artística, onde em 260 páginas se reflete o fascínio da artista pela

Balbina Mendes apresenta novo livro de pintura “A Segunda Pele”, dia 15 de junho, em Lisboa Read More »

“Ciclo de Debates sobre os Novos Desafios do Douro” terá lugar no dia 20 de maio, pelas 14h30, no Museu do Douro (Régua)

No próximo dia 20 de maio, pelas 14h30, decorrerá, no Museu do Douro (Régua), o Ciclo de Debates sobre os Novos Desafios do Douro. Este evento, promovido pela Liga dos Amigos do Douro Património Mundial, versará uma segunda reflexão no âmbito do Ciclo de Debates sobre os Novos Desafios do Douro.

“Ciclo de Debates sobre os Novos Desafios do Douro” terá lugar no dia 20 de maio, pelas 14h30, no Museu do Douro (Régua) Read More »

Scroll to Top

Concatedral de Miranda do Douro

A Catedral de Miranda do Douro surge no decurso da criação da Diocese em Miranda do Douro e respetiva elevação da vila a cidade no ano de 1545. O projeto insere-se na tipologia de Sés mandadas construir por D. João III, cujo investimento se reflete na escala da edificação, que se destaca entre a restante malha urbana. Com traça de Gonçalo de Torralva e Miguel de Arruda, as obras tiveram início em 1552. Deste período chegou ao presente o corpo da igreja, pelo que a fachada que hoje observamos resulta de uma campanha construtiva posterior. Classificada como Monumento Nacional desde 1910, é o símbolo maior de Miranda do Douro.