Shifts in Economic Geography and their Causes

[Recurso eletrónico] "This paper analyses some of the forces that are changing the spatial distribution of activity in the world economy. It draws on the 'new economic geography' literature to argue the importance of increasing returns to scale and cumulative causation processes in shaping the productivity and comparative advantage of different regions. In the presence of such increasing returns there may be persistent spatial disparities in productivity. Economic development will tend to be 'lumpy', with some regions (countries, or smaller areas such as cities) experiencing rapid growth and others being left behind." [Retirado de Venables, Anthony James. (2006). "Shifts in Economic Geography and their Causes". Centre for Economic Performance. CEP Discussion Paper No 767. December 2006]

O seguinte documento insere-se no subgrupo A4 (Subsidiariedades), do grupo A dedicado ao tema do Centralismo, na estrutura de organização dada pelo doador (Miguel Cadilhe).

O documento encontra-se em inglês.

Tipo de ficheiro: pdf
Categorias: Espólio Dr. Miguel Cadilhe
Etiquetas: 2.0 Demografia e Assimetrias Territoriais, 3.0 Políticas de coesão e gestão territorial, 5.0 Políticas internacionais
Autor: Anthony James Venables
Scroll to Top

Concatedral de Miranda do Douro

A Catedral de Miranda do Douro surge no decurso da criação da Diocese em Miranda do Douro e respetiva elevação da vila a cidade no ano de 1545. O projeto insere-se na tipologia de Sés mandadas construir por D. João III, cujo investimento se reflete na escala da edificação, que se destaca entre a restante malha urbana. Com traça de Gonçalo de Torralva e Miguel de Arruda, as obras tiveram início em 1552. Deste período chegou ao presente o corpo da igreja, pelo que a fachada que hoje observamos resulta de uma campanha construtiva posterior. Classificada como Monumento Nacional desde 1910, é o símbolo maior de Miranda do Douro.